O que de incrível têm os nômades digitais graças ao ressurgimento de uma idéia indígena

 

(Texto publicado inicialmente no site Jardim do Mundo)

Nômades Digitais: uma revolução de baixo

A internet está permitindo que as pessoas sejam elas mesmas e esbanjem autenticidade, e isso tem funcionado de forma grandiosa. Por isso eu acredito que tem uma revolução que está vindo de baixo. E também acredito que retomam uma idéia de trabalho indígena.

Ou seja, esta revolução está vindo de pessoas simples como eu e como você. Essas pessoas estão ganhando cada vez mais visibilidade e influenciando outras pessoas a realizarem os mesmos feitos que elas. E o melhor de tudo, muitas delas estão sinceramente querendo o bem das outras pessoas e melhorar o mundo!

Pessimistas de plantão

Para muitos pessimistas de plantão isso é uma ilusão, um otimismo sem fundamento. Isso porque os pessimistas de plantão acham que o mundo é manipulado pelos poderosos e malvados que só querem explorar os mais fracos e manter seu status de poder enquanto a maioria sofre sem esperança.

Ok, concordo que não podemos negar que existem sim empresas e pessoas que estão mal intencionadas e que colocam o poder pessoal e o lucro em detrimento do bem para a humanidade. É claro que temos problemáticas seríssimas ligadas à uma insensibilidade humana e ambiental.

Brilho nos olhos: inspiração

Mas o que me faz brilhar os olhos e ver a esperança e que é sim possível reverter esse quadro e colocar pessoas com valores mais humanos e conscientes no que diz respeito à Terra. E os nômades digitais estão fazendo um lindo trabalho nessa direção.

Me fascina por exemplo, ver um cara como o Jeff Walker (um dos maiores digital marketers do mundo) dizer que ele optou pelo trabalho online porque  ele queria ter mais tempo para curtir a natureza (neste vídeo). Ele antes de querer vender qualquer coisa, ele oferece um ótimo conteúdo que literalmente faz a diferença na vida das pessoas.

Também adoro ouvir os criadores do site Nômades digitais falarem que a maior vantagem de ser um nômade digital é poder ter maior contato com a natureza.

A gente percebe que muitos nômades digitais são o compromissados com valores em relação ao trabalho que privilegiam o bem estar pessoal e contribuir com algo, ao invés da insana busca por lucro e poder.

Autenticidade versus Charlatanismo na internet

O maior ativo das pessoas que estão na internet fazendo acontecer são aqueles que respeitam sobretudo os valores humanos de cooperação, reciprocidade, camaradagem, bem comum.

A internet é um espaço livre, no qual as pessoas só vão atrás do que realmente as interessa. Quando encontram alguém que oferece conteúdo de valor e comprometimento com uma causa, eles apoiam com força.

Mesmo que existam charlatões, esses não sobrevivem por muito tempo, pois a “seleção natural” dos usuários que querem comprometimento e resultados, os fazem sair de cena. Os bem sucedidos são aqueles que realmente fazem a diferença.

Esses são nada mais, nada menos do que os nômades digitais!

Valor fundamental: a liberdade

O que os nômades digitais mais querem é a liberdade. É poder escolher com o que, com quem, quando e como trabalhar. Eles querem trabalhar com o que lhes dá prazer e satisfação em todos os sentidos. Eles querem manter o brilho nos olhos.

E estão demonstrando que é possível ser bem sucedido fazendo o que se gosta e ainda tendo tempo para família, diversão, esportes, espiritualidade, etc..

É possível enriquecer cooperando e não competindo com os outros. É possível ser um grande profissional com um estilo de vida sustentável que respeita os seres humanos e a natureza. É possível ganhar dinheiro fazendo o bem para os outros. É possível trabalhar sem parecer que está trabalhando, porque se vende aquilo que se mais ama fazer. E a lista poderia continuar muito mais.

Eles estão comprometidos com a idéia de se colocar à serviço do mundo.

Saber que algo é possível é extremamente motivante

E de uma visão mais ampla, podemos dizer que os nômades digitais prezam por uma causa maior: mostrar para o mundo que tudo isso é possível. Mostrar que isso é um modo de vida que valoriza o que cada um tem de melhor.

E nada melhor do que a prova viva de que uma coisa é possível para motivar outras pessoas a perseguirem o mesmo caminho, sem se deixar desanimar pelos obstáculos que encontrarão.

Por isso o trabalho de sites como o Jardim do Mundo é de vital importância para que essa revolução ganhe cada vez mais força.

E o mais louco é pensar que, para a maioria das pessoas, trabalhar com o que se gosta, com quem se gosta, como e quando se gosta, é uma doce ilusão. Como se isso não devesse ser a coisa mais normal do mundo!!! Olha como conseguimos reverter as coisas: o trabalho, que é onde normalmente passamos a maior parte de nosso tempo, é na maioria das vezes, visto como uma obrigação, como um peso. Isso ainda hoje é a normalidade! Mas isso sim que parece ser o maior absurdo!!!

Concepção de trabalho indígena

Eu gosto de fazer uma analogia do fenômeno nômades digitais com a forma com a qual muitas tribos indígenas concebem o trabalho (ou pelo menos o concebiam antes do descobrimento).

Como conta o antropólogo Pierre Clastres em “A Sociedade Contra o Estado”, enquanto nas sociedades modernas o trabalho sempre foi considerado uma relação de comando-obediência, em muitas tribos indígenas essa concepção não existia.

Ou seja, para os índios era impensável alguém dizer o que o outro deveria fazer. Não havia a idéia de poder coercitivo. Por isso, quando os europeus chegaram no Brasil, essa foi uma das grandes razões do fracasso da tentativa de escravizar os índios. Eles preferiam a morte ao serem coagidos ao trabalho forçado.

Comprometidos em viver de verdade!

A correlação dos índios com os nômades digitais vem dessa subversão ao modelo de trabalho atual e à contínua busca pela liberdade. Quem realmente está comprometido com o valor da liberdade e da não-conformidade ao esquema vigente de trabalho, acaba realizando as coisas incríveis que temos testemunhado.

Eles querem viver de verdade!

A seguinte frase de Jared Diamond, um estudioso da cultura tribal da Nova Guiné, reflete o modo como as pessoas interessadas em viver de verdade se sentem, sejam elas indígenas ou nômades digitais:

“Estar na Nova Guiné é como ver o mundo em cores vibrantes, enquanto o resto do mundo é cinza”

Nós também queremos ver o mundo em cores vibrantes!

Nomadismo e liberdade ao alcance de todos

O que os nômades digitais têm feito é exatamente incentivar a total liberdade para a criatividade emprenditorial de cada indivíduo. E com essa arma, eles estão criando uma nova revolução que está vindo de baixo: com a sua autenticidade, cada nômade digital mostra que é possível ter liberdade de tempo, dinheiro, local, modo de vestir, etc…

Ou seja, gota por gota já se formou uma poça… Já demonstram que isso é possível, e como! Isso encoraja outras pessoas a tomar a mesma direção, e a criar um verdadeiro oceano de liberdade.

A criatividade está mais em colocar o seu jeito pessoal de fazer algo que já é feito. Ou melhorar algo que já existe. Não é uma exclusividade para artistas ou gênios. É uma abertura mental que nos permite desabrochar a nossa inventividade! É ser capaz e ter a coragem de colocar a cara à tapa. De pôr na mesa a própria unicidade.

E você? O que acha dessa discussão?

Escreva suas idéias nos comentários! Adoro discutir com pessoas interessantes e interessadas nisso!

E se você acha que tá na hora de colocar em prática a sua autenticidade e alcançar maior liberdade na sua vida, deixo de presente um excelente exercício mental indicado para obter mais clareza e potencializar a criatividade.

É uma poderosa ferramenta para ganhar clareza de propósito, impulsionar a sua criatividade e se voltar para a vida que você deseja criar! Confira aqui.

Valeu!

A sua grandeza é a sua natureza!

Isa.

There was an issue loading your timed LeadBox™. Please check plugin settings.

Deixar uma resposta